PT // EN // ES      

COMUNICAÇÕES

The Future Design of Streets

Quais são as novas estratégias possíveis para o desenho das ruas? Quem usa ou espaço da rua? Como podemos projetar para melhorar as ruas? como devemos definir um desenho das ruas?

Estas são algumas das deste Ciclo de Conferências “The Future Design of Streets” que decorre entre fevereiro e julho, em formato online, às 17h. A moderação estará a cargo de Daniel Casas Valle, coordenador de eventos e docente do Departamento de Arquitetura e Multimédia Gallaecia da Universidade Portucalense.

Este Ciclo de Conferências, com acesso gratuito, é coorganizado pelo Departamento de Arquitetura e Multimédia Gallaecia da Universidade Portucalense, pelo Grupo Morfologias e Dinâmicas do Território, Centro de Estudos de Arquitetura e Urbanismo e Faculdade de Arquitetura da Universidade de Arquitola do , Arte e Design pela Universidade do Minho.

 

2 de fevereiro

"Rua ativa"

Oradores: Annemieke Molster, Rene Kural e Daniel Yabar.

 

2 de março

"Ruas habitáveis"

Oradores: Silvia Cassoran, Giulia Sicignano e Mário Alves.

 

6 de abril

"Transformando (infa) estruturas"

Oradores: Milène Deneubourg Vojtech Benedikt João Rafael Santos

 

4 de maio

"Espaço Tecnológico"

Oradores: Catarina Selada, Dan Hill e Robert Martin.

 

1 de junho

"Aprendendo com ontem"

Oradores: Vítor Oliveira, Conrad Kickert e Andreia Garcia.

 

Inscrições: www.thefuturedesignofstreets.eu

Ler mais

Manual de boas-práticas

Foi lançado o “Manual de Boas Práticas para a Organização de Eventos Artísticos no Espaço Público” na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo. Com a coordenação editorial de Bruno Costa e Daniel Vilar, este é o primeiro manual português de boas práticas de organização de eventos artísticos no espaço público, uma iniciativa da Bússola, integrada no projeto Outdoor Arts Portugal

O “Manual de Boas Práticas para a Organização de Eventos Artísticos no Espaço Público”, baseado na realidade nacional e orientado pela estratégia europeia e as tendências estéticas e dramatúrgicas atuais, pretende contribuir para o desenvolvimento setorial integrado das artes de rua em Portugal.

O projeto foca uma componente de investigação histórica e de boas práticas, exposta em contraponto com o contexto legal e regulamentar nacional, através de estratégias colaborativas e transdisciplinares, envolvendo convidados com diferentes perfis e experiências no contexto da criação artística para o espaço público.

Ao longo de 161 páginas, reúnem-se informações, opiniões, exemplos concretos, metodologias específicas e abordagens diferenciadas de contextos de criação artística distintos. O resultado é uma visão integrada e um resumo prático corporizados num manual indispensável para a capacitação dos profissionais do setor - artistas, produtores e promotores -, e de apoio à qualificação das propostas programáticas para o espaço público, ao desenvolvimento de projetos com diferenciação dramatúrgica e com ligação às comunidades.

“Este manual é sobretudo um guia prático e inspiracional, construído com o propósito estratégico de elevar a qualidade conceptual e de produção de eventos artísticos no espaço público português. É importante que se observe a arte, e as artes de rua em particular, como uma ferramenta de desenvolvimento territorial, aproximando as comunidades da participação ativa, com reforço das vivências sociais e das competências democráticas”, explica Bruno Costa.

“Acreditamos que esta publicação é importante para pensar o espaço público como um ponto de encontro entre gerações e comunidades, estimular um pensamento criativo nos gestores culturais, para que o espaço público seja opção de fazer cultura nos dias de hoje, e contribuir para o desenvolvimento do domínio artístico em Portugal, a longo prazo”, complementa Daniel Vilar.

O “Manual de Boas Práticas para a Organização de Eventos Artísticos no Espaço Público” é financiado pelo Ministério da Cultura, através da Direção-Geral das Artes e tem o apoio do ARTCENA - Centro Nacional das Artes do Circo, da Rua e do Teatro de França.

A edição física (2.000 exemplares) será distribuída pelos agentes do setor, bibliotecas públicas e municípios nacionais, promovendo uma ação de sensibilização para as características especiais e distintivas deste domínio artístico. 

A versão digital, livre e gratuita, está disponível no website www.outdoorarts.pt.

Ler mais

Colégio de Lamas com "selo" Apple

O Colégio de Lamas é a primeira escola em Portugal a ser distinguida como Apple Distinguished School, ou seja, uma escola de inovação, de excelência educacional e de liderança. 

Esta distinção da Apple reconhece a estratégia e o trabalho na inovação do ensino e da aprendizagem utilizando a tecnologia, iniciado há quatro anos pelo Colégio de Lamas, com o objetivo de desenvolver um modelo de aprendizagem mais intuitivo, colaborativo e autónomo.

A utilização do iPad, em regime de um para um, por todos os alunos do 1.º ao 12.º ano, tem sido o motor de um ambicioso plano de inovação e criatividade, que tem permitido a constante exploração e descoberta de novas formas de integrar a tecnologia como suporte de melhores aprendizagens e melhores resultados. 

Esse modelo pedagógico assenta em pilares fundamentais da prática educativa do Colégio de Lamas, tais como: as metodologias ativas, que têm por base dinâmicas de ‘project-based learning’; a inovação digital, suportada pelos recursos da Apple Education e pelo iPad; e o aluno protagonista, que desenvolve uma atitude criativa, inovadora e flexível perante a aprendizagem.

Para Joana Vieira, Diretora do Colégio de Lamas: “Ser uma Apple Distinguished School significa inovar, colaborar, partilhar e conectar-se com o mundo, combinando sinergias em comunidade, para alcançar objetivos comuns. Acreditamos que a tecnologia Apple é uma ferramenta poderosa que abre oportunidades de acesso à informação e ao conhecimento, potenciando o pensamento crítico e criativo dos alunos, que se implicam em ações de mudança para um mundo melhor. Este modelo pedagógico foi desenhado a pensar nos futuros cidadãos e no impacto que as suas ações terão na construção de um mundo mais sustentável e humanista”. 

Considera que o reconhecimento como Apple Distinguished Shcool “é um marco estratégico para o Colégio de Lamas, que conduz a uma vibrante viagem de inovação e de modernidade, na constante busca de metas mais ambiciosas”. 

Acrescenta que “a análise e medição de resultados e o testemunho de alunos, professores e famílias confirmam a boa decisão tomada”, assim como a distinção Apple Distinguished School “prova o sucesso do Colégio de Lamas ao integrar hoje a comunidade de escolas mais inovadoras do mundo, constituída por cerca 700 escolas de 35 países”.

 

 

Ler mais

OLI acelera na MotoGP

A marca portuguesa OLI “acelera” na sua promoção internacional ao entrar na pista do campeonato mundial de motociclismo - MotoGP 2022 como patrocinadora oficial da equipa italiana Gresini Racing.

Após três épocas de patrocínio em Moto2 e Moto3, a OLI abraça este ano a elite do motociclismo mundial. Assim, em 2022, a OLI, enquanto patrocinador oficial da Gresini Racing, estará presente nas motos 23 e 49 da Ducati, nos fatos dos pilotos Enea Bastianini e Fabio Di Giannantonio e nos uniformes da equipa.

A OLI aumenta assim sua visibilidade como marca global associando-se a uma modalidade que apresenta uma crescente adesão mundial e níveis de audiência recorde. Segundo a Federação Internacional de Motociclismo, o campeonato mundial de motociclismo MotoGP é transmitido em 200 países, chega a 432 milhões de casas, regista 37 milhões de visualizações de vídeos no website do campeonato e tem um alcance de mais de 30 milhões de seguidores nas redes sociais com cerca de 3 biliões de visualizações de vídeos.

“É com grande satisfação que estamos ao lado da Gresini neste salto para o MotoGP, o evento cimeiro do motociclismo a nível mundial, depois de três anos de parceria nas categorias de Moto2 e Moto3. Esta evolução afirma aquilo que queremos ser enquanto empresa, uma organização evolutiva e em crescimento acelerado, disposta a competir para se destacar entre os melhores do mundo. Esta parceria é um dos vetores que permite amplificar o projeto internacional da OLI, seja pela força crescente das nossas filiais, seja pela dinâmica de exportação para novas latitudes e crescimento de importadores estratégicos”, afirma António Ricardo Oliveira, administrador da OLI.

“A OLI capitalizará este apoio à equipa Gresini com a organização de um programa de visita aos Grandes Prémios, que permitirá aos seus clientes aceder ao ‘padock’ da Gresini Racing, contactar com os pilotos e vivenciar uma experiência desportiva ao mais alto nível. Adicionalmente, tendo e equipa Gresini Racing origem italiana, a OLI estreita também o canal de reconhecimento de marca no mercado italiano por força da existência de uma filial da empresa em Itália. Sendo este um dos nossos principais mercados externos, gera-se assim uma forte sinergia com expansão para outros mercados em que a OLI atua”, acrescenta António Ricardo Oliveira.

Esta exposição mundial da OLI na prova “rainha” do motociclismo junta-se à visibilidade mediática internacional que a marca tem adquirido com a conquista de prémios mundiais de design, como o Red Dot Design Awards, o IF Design e, mais recentemente, o Archiproducts Awards com a placa de comando de autoclismo “Less Is More” da autoria do arquiteto italiano Alessio Pinto.

Ler mais

Larus mobila "pulmão verde" em Macau

A portuguesa LARUS reforça o seu projeto de internacionalização a Oriente ao ser escolhida para desenhar os sanitários públicos e os quiosques-bar da nova Zona de Lazer da Marginal da Estátua de Kun Iam, em Macau.

Este “pulmão verde”, com uma área de 15 mil metros quadrados, atravessa a área marginal entre o Centro de Ciência de Macau e o Centro Ecuménico Kun Iam, e apresenta equipamentos recreativos de manutenção física, como um trilho junto à água, um campo polivalente e um rinque de patinagem, e uma área de diversão infantil com equipamentos para pais e filhos.

O edifício dos sanitários públicos é de construção modular e apresenta, tal como o quiosque-bar, uma estrutura principal constituída por perfis de aço laminado, metalizados e pintados. Este equipamento urbano incorpora três instalações sanitárias (masculinas, femininas e mobilidade reduzida), um quarto de amamentação, um sanitário familiar, uma zona comum de lavatórios, protegida por uma pérgola e uma barreira visual, e uma sala de arrumos.

 

Este é mais um projeto urbanístico de referência em Macau que a LARUS se associa. Em 2017, os bancos da linha “Axis Bold”, da autoria de Pedro Martins Pereira, fundador da Larus, mobilaram o Taipa Central Park, localizado no coração da ilha de Taipa, em Macau, um “oásis” verde de 28 mil metros quadrados com jardins, bibliotecas e um bairro residencial.

“Desde 2010 que temos realizados diversos projetos para Macau, particularmente ao nível da conceção e produção de quiosques. Sendo uma antiga colónia portuguesa, há um intenso movimento cultural de preservação de ícones lusos. Os primeiros modelos solicitados foram então muito tradicionais, sendo inclusivamente um deles revestido com painéis de azulejaria portuguesa antiga”, recorda Pedro Martins Pereira.

 

“Com o tempo, foi-se estabelecendo uma relação e a LARUS deixou de ser apenas uma empresa portuguesa de referência, para passar a ser parceira do Governo de Macau neste tipo de equipamentos. Este equipamento de WC públicos, com dimensões assinaláveis, foi um desafio que nos foi proposto em 2019, tendo sido desenvolvido pelo nosso designer Rui Pinto, em articulação com os arquitetos macaenses ligados ao projeto global para a zona de Nape”, acrescenta.

 

Atualmente a LARUS “mobila” cidades como Lisboa (Parque das Nações, Ribeira das Naus, Alta de Lisboa), Porto (Serralves, Avenida dos Aliados), Madrid (junto à Praça de Cibeles), Casablanca (Medina de Casablanca) Santiago de Compostela (Cidade da Cultura), Luanda (Baía de Luanda e Ilha do Cabo), Génova, Antuérpia, Londres, Dubai, entre outras.

Ler mais