PT // EN // ES      

COMUNICAÇÕES

OLI estima crescer em 2021

Em 2020, num ano marcado pela pandemia da covid-19, a OLI, o maior produtor de autoclismos da Europa do Sul, manteve o volume de negócios na ordem dos 60 milhões de euros (M€).

O crescimento global de vendas na Europa central e de leste de 34% permitiu compensar o decréscimo global de 14% verificado nos principais mercados de exportação da empresa portuguesa - França, Itália e Espanha. A Ucrânia (+77%), a República Checa (+43%), a Bulgária (+39%) e a Rússia (+24%) foram os países que mais aumentaram as vendas.

A expansão da OLI nestes mercados tem sido alavancada, por um lado, pelo crescimento da procura de autoclismos interiores com tecnologia incorporada, que respondam às exigências da sustentabilidade hídrica e energética, e, por outro, pela filial alemã, criada em 2016, que intensificou a estratégia de comercialização da marca nesta área geográfica.

Em Portugal, as vendas situaram-se nos 13,1 M€, traduzindo uma diminuição de 3% em relação a 2019. Os autoclismos interiores continuaram a ser líderes no seu segmento no mercado nacional e assistiu-se a uma maior procura, por parte do setor da hotelaria e do mercado residencial, de soluções “no-touch”, ou seja, sem necessidade de toque, que reduzem o contágio no WC e respondem, assim, ao combate da crise de saúde pública provocada pela doença da covid-19.

Em 2020, a OLI produziu cerca de dois milhões de autoclismos e exportou 80% da produção para 80 países dos cinco continentes. A Europa manteve-se como o principal destino das exportações, sendo a Alemanha, a Itália e a Escandinávia os principais mercados.

O ano passado ficou também marcado pelo investimento da empresa na transformação digital, destacando-se a criação de um showroom 360º da marca, onde o utilizador pode conhecer as novas soluções de banho e de climatização, e o lançamento da aplicação OLI TECH, um aplicativo para dispositivos móveis que auxilia os profissionais na consulta de informação, instalação e reparação de produtos de instalação sanitária.

“Em 2021, a OLI pretende continuar a evoluir, seja na forma como trabalha, aumentando a sua eficiência e produtividade, seja no crescimento do volume de vendas que fixámos em 10%. Prevemos entrar em mercados novos como a Polónia, a costa leste de África e o Magrebe. Ambicionamos ainda continuar a investir na inovação, que incorpora o ADN da empresa, com o objetivo de desenvolver novas e melhores soluções que contribuam para a preservação da água como bem essencial escasso e para a inclusão de todos no espaço de banho”, afirma António Oliveira, Presidente da OLI.

 

Ler mais

Portucalense apresenta ideias à NATO

A Universidade Portucalense é a representante de Portugal no evento “Novas Ideias para a NATO 2030”, que reúne jovens líderes e nove universidades selecionadas no âmbito dos 30 Estados-Membros da Aliança, de 2 a 4 de fevereiro.

“Muito mais do que representar Portugal, trata-se de uma oportunidade única para interagir com um conjunto de peritos de alto nível da NATO e com o grupo de 14 jovens líderes da NATO”, salienta André Pereira Matos, docente do Departamento de Direito e investigador do Instituto Jurídico da UPT.

O evento divide-se em três dias com reuniões “brainstorming” através do uso de plataformas digitais, e terminará com uma apresentação pública que contará com a participação do secretário-geral da NATO, o norueguês Jens Stoltenberg.

Além da Universidade Portucalense, as outras oito universidades que participam na NATO Policy Hackton, são: Harvard University (Estados Unidos da América), Freie Universität (Alemanha), King‘s College London (Reino Unido), Charles University Prague (República Checa), The Johns Hopkins University (Estados Unidos da América), SciencePo Paris (França), University of Tromso (Noruega) e University of Vilnius (Lituânia).

Ler mais